Bios

Isabel Löfgren e Patricia Gouvêa

Artistas

Artistas e pesquisadoras. Começaram a trabalhar juntas em 2005, quando formaram o coletivo Grupo DOC (Desordem Obsessiva Compulsiva) com outros artistas. O coletivo organizou diversas exposições coletivas como as nove edições da Nanoexposição em cinco países (2005-2009), Fake (2007) e Despacho (2009).

Em 2010, foram convidadas pela curadora Isabel Portella para conceber uma proposta para a série Duplas, da Galeria do Lago/Museu da República. Ao longo de 2011, realizaram uma residência no Jardim da República, onde nasceu “Banco de Tempo”, apresentado como exposição em 2012 e cuja pesquisa se consolidou no livro homônimo, lançado em 2015.

Desde então, as artistas iniciaram um processo de criação em conjunto no qual buscam unir a história do local de exposição à pesquisa em arquivos históricos e a experiências pessoais. Nessa confluência, elaboram obras em fotografia, texto, vídeo e intervenção que buscam dialogar com a arquitetura do local de exposição, entre outros elementos.

Mãe Preta é o segundo projeto da dupla e foi contemplado em 2016 com o Edital Fomento da Secretaria de Cultura do Rio de Janeiro.

Isabel vive entre Estocolmo e Rio de Janeiro e Patricia vive no Rio de Janeiro.

Site Isabel Löfgren

Site Patricia Gouvêa

Banco de Tempo

 

Marco Antonio Teobaldo

Curador

Jornalista, curador e pesquisador. Mestre em Curadoria em Novas Tecnologias pela Universidad Ramón Llull, de Barcelona, Espanha. Desde 2007, vem trabalhando como pesquisador e curador de artes visuais, além de atuar diretamente em atividades de concepção, organização e produção de exposições. Dirige a Galeria Pretos Novos de Arte Contemporânea desde 2012, situada sobre um dos mais importantes sítios arqueológicos da Rota dos Escravos (Unesco), onde realiza propostas curatoriais com artistas visuais buscando ressignificar o espaço e promover uma reflexão sobre a história afro-brasileira.