Obras

Biblioteca Mãe Preta

Biblioteca Mãe Preta

Crossover

Crossover

Modos de Fala e Escuta

Modos de Fala e Escuta

Modos de Habitar

Modos de Habitar

Modos de Navegar

Modos de Navegar

Modos de Olhar

Modos de Olhar

Modos de Reportar

Modos de Reportar

Modos de Revelar

Modos de Revelar

Mural das Heroínas

Mural das Heroínas

Vênus da Gamboa

Vênus da Gamboa

Modos de Navegar  – Intervenção feita em um mapa mundi que pontua a relação de dependência entre a América do Sul e a Àfrica ao unir os rios São Francisco e Niger por meio de uma fita de möbius. 

Modos de revelar – Expõe um scan ainda sem tratamento de uma das imagens mais icônicas de Marc Ferrez e serve como metáfora para todas as imagens e histórias negras que, ao longo dos anos, ficaram confinadas às memórias individuais. 

Modos de Olhar – Destaca a posição materna da mulher negra na sociedade colonial por meio de intervenções em imagens de importantes gravuristas e fotográfos. Nesse contexto, por exemplo, uma guia de Oxun, orixá ligada às águas e à fertilidade, é usada para destacar uma mulher negra que carrega o filho pela rua, ao mesmo tempo que diamantes e vidros são usados para ocultar o rosto de colonizadores. 

Modos de reportar – Eram recorrentes em jornais e revistas, a venda e aluguel de escravizados nas principais cidades da colônia. A pesquisa confirma a banalização desse assunto na época ao apresentar anúncios de venda e aluguel de amas de leite ao lado do anúncios de vendas de galinhas. 

Vênus da Gamboa – Ressignificação da foto de uma mulher escravizada, possivelmente a primeira grávida, feita por August Stahl, por encomenda de Louis Agassiz, um dos principais defensores do racismo científico no século XIX, com o objetivo de justificar o racismo e a eugenia. As artistas intervêm na imagem incluindo conchas, objeto muito significativo para a ancestralidade negra, utilizado em rituais, e fazendo uma alusão à obra Nascimento de Vênus, de Sandro Botticelli.

Modos de Fala e Escuta –  Movimento para a contemporaneidade, constitui o trabalho central da exposição. A partir de uma video-instalação, com entrevistas de mulheres negras e mães, são revelados os problemas que as mulheres negras ainda enfrentam, entre eles o racismo e a violência. 

Modos de Recordar – Mural das Heroínas – Destaca as heroínas negras com fotos e biografias, de Anastácia à Sueli Carneiro. Ao todo, são 16 mulheres de um recorte de 250 heroínas.