Modos de Navegar

Colagem sobre papel
Collage on paper
2016

Com trecho do poema de Conceição Evaristo

A série Modos de Navegar parte de uma imagem de mapa mundi encontrada em papelarias e utilizada em trabalhos escolares e pontua a relação de dependência entre América do Sul e África desde o formato dos continentes, até a ligação histórica e afetiva entre a costa africana e a costa brasileira. Neste mapa, aparecem o Rio São Francisco e o Rio Niger desaguando no Atlântico, e essa união das águas se faz através de uma tripa de moebius em papel, onde está inscrito um verso do poema Vozes-mulheres de Conceição Evaristo. O verso trata de histórias de mulheres negras desde a travessia e das gerações seguintes, uma ode ás vozes que ecoam e ressoam através do oceano.

Vozes-Mulheres

A voz de minha bisavó ecoou
criança
nos porões do navio.
Ecoou lamentos
De uma infância perdida.

A voz de minha avó
ecoou obediência
aos brancos-donos de tudo.

A voz de minha mãe
ecoou baixinho revolta
No fundo das cozinhas alheias
debaixo das trouxas
roupagens sujas dos brancos
pelo caminho empoeirado
rumo à favela.

A minha voz ainda
ecoa versos perplexos
com rimas de sangue
e
fome.

A voz de minha filha
recorre todas as nossas vozes
recolhe em si
as vozes mudas caladas
engasgadas nas gargantas.

A voz de minha filha
recolhe em si
a fala e o ato.
O ontem – o hoje – o agora.
Na voz de minha filha
se fará ouvir a ressonância
o eco da vida-liberdade.

In Cadernos Negros, vol. 13, São Paulo, 1990.